Blog

Novo auxílio emergencial: saiba tudo sobre o benefício

01 de abril
Após três meses de incertezas, marcados pelo agravamento da pandemia de covid-19 no Brasil, o governo federal anunciou, em 31 de março, detalhes do novo auxílio emergencial. Em 2021, ele será disponibilizado aos cidadãos em menos parcelas e com valores menores do que aqueles disponibilizados ao longo de 2020. 
 
O calendário divulgado pelo governo aponta quatro parcelas, a serem pagas de abril a julho. Nascidos em janeiro, por exemplo, terão a primeira parcela do auxílio depositada em suas contas digitais, movimentadas pelo aplicativo Caixa Tem, em 6 de abril. No entanto, o saque presencial em agências ou lotéricas estará disponível em 4 de maio. 
 
Para beneficiários do Bolsa Família, o pagamento segue a ordem estabelecida pelo próprio programa. Cidadãos que tem o Número de Identificação Social (NIS) terminado em 1, por exemplo, receberão a primeira parcela do auxílio em 16 de abril.
 
Você ainda tem dúvidas sobre o novo auxílio emergencial? Confira, abaixo, uma série de perguntas e respostas a respeito do assunto: 
 
• Em quantas parcelas o benefício será pago?
O novo auxílio emergencial será pago em 4 parcelas, a partir de 6 de abril. Segundo o governo federal, o valor será disponibilizado nas contas digitais da Caixa, administradas pelo aplicativo Caixa Tem. Depois de alguns dias, o benefício estará disponível para saque presencial em agências e lotéricas de todo o país. Clique aqui e confira o calendário completo de pagamento do benefício. 
 
• Quais serão os valores das parcelas?
Os valores serão de R$ 375 (mulheres chefes de família), R$ 250 (famílias) e R$ 150 (pessoas que moram sozinhas). 
 
• Quem terá direito ao novo auxílio emergencial?
Famílias com renda total de até 3 salários mínimos por mês, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. Para os inscritos no Bolsa Família, continua em vigor a regra do valor mais vantajoso. Ou seja, será paga a maior parcela, seja no âmbito do programa ou do auxílio emergencial. 
 
• Como será feito o pagamento?
O pagamento das parcelas se dará como no ano passado, por meio da conta digital da Caixa. O governo salienta que não é necessário atualizar o APP Caixa Tem, apenas os dados cadastrais. Para quem recebe o Bolsa Família, será da mesma forma com que é pago esse benefício. É necessário estar com o CPF regularizado para receber as parcelas (exceto quem é contemplado pelo Bolsa Família). 
 
• E quem não receberá o auxílio emergencial em 2021?
Não terão direito ao novo auxílio emergencial: mulheres menores de 18 anos (exceto mães adolescentes); pessoas que têm emprego com carteira assinada ou que recebam algum benefício do governo (exceto Bolsa Família e abono salarial); quem movimentou os valores do auxílio emergencial pago no ano passado; quem teve o auxílio emergencial cancelado até dezembro do ano passado, estagiários e residentes médicos, multiprofissionais e quem recebe bolsa de estudos ou similares; presos em regime fechado, cuja família receba o auxílio-reclusão; cidadãos que tenham renda familiar por pessoa acima de meio salário mínimo e brasileiros que moram no exterior. 
 
Importante: quem teve renda tributável acima de R$ 28.559,70 em 2019; quem recebeu, em 2019, rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil; pessoas que, até 31 de dezembro de 2019, tinham propriedade de bens e direitos em valor total superior a R$ 300 mil e dependentes do Imposto de Renda (IR) de 2019 que se encaixam nos itens mencionados anteriormente também não têm direito ao novo auxílio emergencial
 
Para saber mais sobre o auxílio emergencial, clique aqui
Voltar

Quer um orçamento? Possui alguma Dúvida?

Fale conosco!
Faça um orçamento